26/06/09

Cada passo que dou... não dou na realidade. Não cedo o corpo ao senso comum no caminho que se esconde no lado mais escuro da minha lua.
Entre a corda bamba e o meu coração vive um pequeno demónio que bate à porta da minha consciência com voz de sereia enganadora e na tempestade da minha alma o farol da enseada é apenas o eco da voz mais antiga do mundo: as nossas origens. (Su)



8 comentários:

gracinda disse...

Amiga, desculpa. Eu sei que esta música já esteve na Teia, mas eu não resisti a colocá-la aqui. É linda!

su disse...

Esta música deve ser repetida vezes sem conta...é de uma beleza extrema! :)

E esta imagem (que também tenho!) é fabulosa!

su disse...

Cada passo que dou... não dou na realidade. Não cedo o corpo ao senso comum no caminho que se esconde no lado mais escuro da minha lua.
Entre a corda bamba e o meu coração vive um pequeno demónio que bate à porta da minha consciência com voz de sereia enganadora e na tempestade da minha alma o farol da enseada é apenas o eco da voz mais antiga do mundo: as nossas origens.

gracinda disse...

E o difícil é acalmar a tempestade da alma e manter o equilíbrio na corda entre tanta consciência e demasiada ilusão.

Obrigada pelo texto. Admiro o modo como conciliaste tudo e expressaste desta forma bonita e poética. :)

Beijos grandes.

su disse...

Ó amiga..."apanhei um susto" quando vi que o meu comentário estava ali no teu post! Não estava à espera! Blush!

Esta música transporta-nos e a minha escrita automática vai atrás...sabes como é...o equilíbrio é um real aparente...cá por dentro, muitas vezes, tudo se desmorona e vai em queda livre...um dia, "hit´s the ground"...

su disse...

Olha...deixei os livros que me ias emprestar no teu carro, no chão atrás! Já deste conta, não?! ;/

gracinda disse...

Achei que ali ficava melhor e o post muito mais composto. :)

Sim, eu sei como é, no teu caso. E não imaginas a inveja que eu tenho... a minha escrita não vai atrás de nada, simplesmente não sai. Enfim... Uns têm, outros não! ;)

Já dei conta dos livros. Levo-os para a próxima.

Porcelain Doll disse...

:) É lindo quando conseguimos sentir a amizade que une as pessoas assim... a esta distância física... que representa tão pouco para o coração... :)

O lado mais escuro da lua é verdadeiramente demoníaco... e debaixo da bela voz de sereia, prepara-se para nos tirar o tapete debaixo dos pés, removendo-nos o chão.... e é nessas alturas que o farol do eco da voz mais antiga do mundo... a nossa própria voz, precisa fazer-se ouvir mais alto... talvez tenha sido por isso que o demónio veio... para que o eco da nossa voz mais antiga grite bem alto, e nos liberte das eternas teias da ignorância a que fomos condenados por mera condição de sermos humanos.

Beijões para as duas... :D