18/04/09

ROMA
À PRIMEIRA VISTA

Durante longo tempo protelado, finalmente seguimos o caminho até Roma e, em pouco menos de cinco dias, "bebemos de" cerca de três mil anos de História que nos deixaram completamente extasiados.


Réplica da loba capitolina no exterior do museu Capitolini

Segundo a lenda, tudo começou numa das margens do rio Tibre, no monte Palatino, onde Rómulo, depois de ter assassinado o seu irmão Remo, fundou a cidade de Roma. Verdade ou não, o certo é que a figura da loba a amamentar as duas crianças tornou-se o símbolo da cidade. E a cidade, o berço de uma das civilizações mais avançadas da Antiguidade.
Hoje, Roma não detém o poder de outrora, mas guardou para si tesouros de períodos tão díspares da História que a tornam senhora de um património artístico e arqueológico inigualável, valendo-lhe o epíteto de cidade eterna.

Roma conquista-nos logo à chegada.


Scalinata di Spagna e igreja Trinitá dei Monti

Na Piazza di Spagna, encontramo-nos com os apreciadores do dolce far niente, romanos e turistas que para ali se dirigem a qualquer hora do dia, ávidos por arranjar (re)pouso num dos degraus da famosa escadaria barroca.
Percorrendo as ruas, perdemo-nos em encruzilhadas de tonalidade ocre e contornamos esquinas que nos surpreendem com relíquias do passado.

Piazza Navona

Desembocamos na Piazza Navona, coração a palpitar de vida sobre o antigo estádio de Domiciano. Aí, vagueamos por entre o aglomerado de esplanadas, vendedores ambulantes e artistas de rua que entretêm o visitante, enquanto aguardamos lugar em redor de uma das três magníficas fontes que adornam a praça.


Templo de Vesta no Forum Romano

Quando entramos no coração da Roma antiga, somos, inevitavelmente, transportados no tempo. Nesta área de ruínas milenares em pleno centro da capital, podemos sentir o esplendor e grandeza daquele que foi outrora um dos maiores impérios do mundo. Caminhando pelas vias do Forum Romano, é fácil imaginar uma multidão de patrícios, escravos e homens da plebe cruzando os labirintos da cidade imperial. Já então vibrante e caótica.


Coliseu Romano ou Anfiteatro Flaviano

Assim que assomamos o Coliseu, somos esmagados pela sua imponência. Embora em ruínas e longe do seu tempo de glória, esta estrutura colossal é, sem dúvida, uma visão impressionante. Nos cem dias de festividades que marcaram a sua inauguração, foram mortos milhares de animais e centenas de gladiadores. Uma vez lá dentro, perscrutamos a atmosfera, procuramos ecos dos fantasmas desses gladiadores, escravos e prisioneiros mortos em jogos de sangue perante um público em delírio.

Fontana di Trevi

Deixamos para trás a cidade antiga e dirigimo-nos para a Fontana di Trevi. Não poderíamos despedir-nos de Roma sem primeiro assegurar o nosso regresso. Chegamos ao local e deparamo-nos com um turbilhão de turistas com a mesma intenção. Ainda assim o desejo foi formulado e a moeda caiu na água, no meio de muitas outras. A mais bela fonte romana, engalanada por Neptuno e o seu séquito de cavalos, assinala o fim de um dos mais antigos aquedutos que abasteciam a cidade, o Acqua Virgo. Actualmente, a fonte é uma das maiores atracções para os turistas, que disputam entre si uma foto na multidão.

Roma é tudo isto e muito muito mais... Há que conhecê-la... E senti-la... Com os sentidos e o coração.


Este é o caminho de quem parte; o sorriso de quem vem mais rico e promete voltar.

4 comentários:

Porcelain Doll disse...

Itália é um sonho!! Eu fiquei-me pelo norte, já lá vão quase 10 anos... e prometi voltar, sim!! E prometi a mim mesma que, quando voltasse, iria, precisamente, a ROMA!! E preciso ver Florença melhor, que da outra vez quando lá cheguei, os Uffizi já estavam fechados... :-S

Beijinhos!!

gracinda disse...

Fica sempre algo por ver... Ou mesmo muito. E prometemos voltar para preencher esse espaço vazio.

Beijinhos

su disse...

E para além da viagem a que nos remetem as fotografias, viaja-se no tempo através da História que nos legas, acompanhando estas imagens.
É um local fascinante, sem dúvida...daqueles que nos deve emocionar até ao fundo das nossas almas! E vejo-te aqui numa foto, super sorridente. Assim sim, amiga! Desta vez, o Luís esteve lá! ;)
Quando lá voltarem...vão mais dois "penduras" d ecerteza. Se der...vamos, aí vamos, vamos! ;)
Beijinhos grandes e saudosos!

gracinda disse...

Pobre Luís... No nosso caso, a culpa do modelo ser pouco fotogénico não é do fotógrafo. :|
E então, vamos fazer com que dê?
Que tal Roma e Pompeia já neste Verão? ;)